Guest Post: Surpreenda-se ouvindo para si mesmo!

earPor: José Teófilo Neto

O que significa “ouvir para si”?

Vivemos num mundo de respostas rápidas. Tudo precisa vir numa fração de milionésimos de segundos. Agora só existe o certo e o errado. Acabamos com o depende.

Neste artigo abordaremos “o saber ouvir”, garantindo que é o mais difícil de encontrar em qualquer diálogo, seja vendendo, seja “jogando conversa fora” com amigos, filhos, pais.

Saber ouvir não é ter boa audição e tampouco entender o que foi dito. Entender o que não foi dito pode ser o caminho de uma excelente transação. Costumo ensinar o “ouvir para si”, ou seja, qual o proveito que você vai tirar daquilo que foi dito. É Difícil? É muito, devido nossa pressa conforme dito acima.

Imagine-se tomando uma cerveja com os amigos e ao olhar para uma garrafa vê que ela está pela metade. A maioria pensa que a cerveja está acabando. “Ouvir para si” é pensar que ainda falta metade para você tomar. Se você vende cartões de crédito e o cliente diz que já possui 2, você se desespera, ou “ouvindo para si” enxerga a oportunidade de oferecer um terceiro. Ouve mais ainda: não precisa explicar como funciona, e tantas coisas mais. Vai direto às vantagens de possuir um terceiro cartão.

Costumo ensinar “que ouvir para si” é como filtrar positivamente aquilo que o outro diz. Veja os exemplos a seguir:

Entre os que precisam sempre “ouvir para si”, está o bom vendedor que mantém sempre ativo no seu cérebro o filtro positivo (F+), que consiste encontrar motivos para continuar negociando quando ouve objeções, enquanto os maus vendedores preferem ligar o filtro negativo (F-) e com isto desistir da negociação. O bom vendedor entende que objeção não é uma recusa e sim que o cliente deseja mais razões para se decidir. Eis como ativar o filtro positivo:

Objeção: Já tenho fornecedor

(F-) Me ferrei.

(F+) Que bom, ele compra este produto.

Objeção: Você é o décimo que me procura

(F-) Cheguei atrasado.

(F+) Este tem crédito na praça. Vou mostrar que minha oferta é a melhor.

Objeção: Não tenho dinheiro agora

(F-) O mercado está parado.

(F+) Venda realizada! É só acertar a condição de pagamento.

Objeção: Sua empresa não tem tradição neste mercado.

(F-) Trabalhar em empresa que não faz propaganda dá nisto.

(F+) Vou citar alguns clientes bem conhecidos.

Objeção: Está fora do meu orçamento

(F-) Este governo só atrapalha os negócios.

(F+) Vou vender a quantidade que ele puder pagar agora.

Objeção: Não posso atender agora

(F-) Então só vou deixar um catálogo.

(F+) Marcaremos um dia e hora adequada.

Objeção: Está caro

(F-) Acompanho a concorrência.

(F+) Quer comprar; é só ajustar as condições.

Está se tornando cada vez mais difícil falar com as pessoas certas, tanto pessoalmente como pelo telefone. Parece que todas estão sempre muito ocupadas e nós vendedores sabemos muito bem a canseira que nos dão. Muitas vezes, nós vendedores somos os culpados disto, pois a nossa postura deixa a desejar, só queremos falar, dar nosso recado e não queremos ouvir. E o que é pior ouvimos de tal maneira que parece que o mundo está contra nós.

 

José Teófilo Neto é empresário e Educador Corporativo, ministrando cursos e palestras sobre –  teofilo@comunicacaodireta.com.br

Guest Post: Surpreenda-se ouvindo para si mesmo!
Tagged on:                     

Coach Wilques Erlacher

ACC Coach Credenciado pela ICF. Especializado em Coach de Desenvolvimento & Metafórico e Presidente do Conselho Fiscal da ICF Portugal. Há mais de 20 anos que trabalho em funções relacionadas com Marketing, Vendas Corporativas, Desenvolvimento de Negócios, Gestão de Clientes, Formação, Mentoria e Consultoria em Vendas. O meu lema é: “Coaching não é para quem precisa, é para quem quer ser melhor” Os meus contactos são: email: we@wilqueserlacher.com || Skype: w.erlacher || Tel: +351 932 558 558

error: Conteúdo protegido contra cópia!