19 razões para não ter cumprido as suas promessas em 2018

Todos os anos é a mesma coisa. Ao chegar as 12 badaladas da meia-noite do dia 31 de dezembro, segura em 12 uvas ou 12 passas e começa a fazer os famosos desejos de ano novo. Chegado ao último dia do ano de 2018 faz uma análise sobre os desejos que fez no início e chega a conclusão que, ou não se lembra de quais foram os desejos ou simplesmente ignorou completamente e seguiu a vidinha como ela deixou seguir.

Mas isso até pode ser aceitável quando se fala ao nível pessoal. Mas o que aconteceu ao nível profissional para nada funcionar como deve ser em 2018? O que prometeu que iria fazer e não fez ou não aconteceu? O mais certo é não ter a resposta na ponta da língua para estas questões ou talvez ficar envergonhado por não saber responder.

Para que no final de 2019 não esteja novamente a pensar sobre o quão foi incapaz de fazer acontecer, deixo algumas dicas relativamente as falhas no seu comportamento em 2018.

Se puder, deixe um comentário abaixo indicando quantas destas acções reconheceu em si durante o ano que acaba.

1 – Não foi consistente

Quantos projectos começou a trabalhar e simplesmente ficou cansado logo a seguir e o abandonou por completo? Sim, uma das grandes consequências dos seus desejos não terem sido conseguidos foi não ser forte o suficiente para enfrentar as adversidades e contrariedades que os projectos tinham.

2 – Esqueceu de escrever os seus planos

Sim há uma diferença muito grande entre desejo (vontade de fazer) e plano. Falhou principalmente por que não escreveu em detalhe cada acção do seu plano de realizações para 2018. Se tivesse escrito, teria agora uma forma visível de validar o que concretizou e o que ainda falta. Mais, conseguiria mês após mês avaliar o grau de cumprimento dos seus planos.

3 – Foi demasiado complacente

Sim, foi demasiado bonzinho com clientes, amigos, família e até mesmo com os filhos. A palavra “não” nunca era pronunciada. Só soube dizer “sim” até mesmo quando sabia que ao concordar estava a dar um tiro no pé. Repito o que a definição de complacência quer dizer: “Tendência usual para concordar com outra pessoa, buscando agradá-la ou tentando ser agradável.

4 – Procurou cumprir os mínimos necessários para sobreviver

Em palavras directas, foi um fracote. Ao invés de procurar ganhar 20, contentou-se com um 11, pois já era próximo do mínimo. Ao invés de correr atrás dos clientes que lhe pagariam milhares de euros, contentou-se com os que pagaram algumas dezenas. Teve sempre esta frase na cabeça: “Há isso é muito difícil de ser atingido, não sou capaz de conseguir este resultado”.

5 – Falou mais do que foi capaz de cumprir

Prometeu aos amigos que iria deixar de fumar, mas não cumpriu. Falou com a mulher que iria economizar todos os meses uma parte do salário e está sobre endividado. Prometeu que iria entrar num ginásio e perder peso, inscreveu-se, pagou todos os meses e só lá foi 2 vezes em todo o ano. Jurou pela alma da sua mãe que iria procurar uma emprego melhor para conseguir ter mais tempo para estar com a família, mas continua a trabalhar no mesmo lugar que não gosta, quase 16 horas por dia.

6 – Esteve sempre rodeado de quem não interessa

Precisava encontrar novos clientes, mas passou o tempo todo a ver o Facebook e o Instagram a desejar a vida que os amigos publicavam (que na verdade são uma porcaria pois é uma felicidade de papel). Na empresa o seu chefe estava sempre a dizer para não se demorar tanto a voltar do almoço, mas ia ao meio-dia e só voltava as três da tarde. Tinha uma pilha de coisas para tratar, mas o seu tempo foi todo gasto na copa a falar com os colegas de trabalho sobre assuntos que não interessavam nada.

7 – Não aceitou uma crítica (mesmo quando era construtiva)

É uma verdadeira besta e na sua cabeça todos estavam ali para tentar destruir a sua carreira. Você não foi capaz de ver que esteva a um passo do precipício e todos os que gostavam de si gritaram para não seguir em frente, mas mesmo assim seguiu. Fez sempre ouvido de mercador e ignorou todos os alertas. Se alguém dissesse que poderia fazer algo de forma diferente, começava a gritar e a ofender com um punhado de impropérios que não podem ser escritos. A sua foi a de uma verdadeira “besta quadrada”.

8 – Adorava ser engraxado, paparicado ou mimado

Aquilo que mais gostou foi daquelas pessoas que o trataram por “chefinho querido”, que o convidaram para almoçar e até pagaram o almoço. As pessoas que considerou como os seus “verdadeiros amigos” são uma cambada de puxa-saco (graxistas) que se fosse possível fazer uma radiografia da sua zona frontal, veria estes animais pendurados na sua genitália a lamber o seu escroto.

9 – Foi um verdadeiro chato de galocha

Está tudo dito nesta definição: “Chato de galocha é uma expressão idiomática da língua portuguesa muito usada no Brasil. É usada para descrever uma pessoa que é muito chata e inconveniente. O dito chato de galocha é o indivíduo que é extremamente desagradável, com pouco senso social e insistente em assuntos desinteressantes.

10 – Não ajudou ninguém e só corrigiu quando não necessário

Foi aquela pessoa que viu alguém a fazer algo errado e ao invés de se aproximar e dar uma dica sobre como poderia fazer melhor, deixou a pessoa se ferrar e depois criticou a dizer que não fez nada direito. No entanto quando se aventurou a corrigir alguém, não foi para ensinar como fazer melhor mas sim para apontar o dedo e falar em tom de voz alto (para todos ouvirem), que ela não prestava e não sabia fazer nada direito.

Siga-me pelologo_b

11 – Faça o que eu mando mas não faça o que faço

Para si, o exemplo não serve para nada. Deu ordens para todos andarem pelo lado esquerdo, mas caminhou pelo lado direito. Acho que o título diz tudo por que tudo falhou em 2018.

Clique Aqui para mais informações

12 – Tudo o que os outros diziam é o que estava certo

Quando esteve preocupado sobre como enfrentar uma situação difícil, procurou no Google dicas para ultrapassar a situação e acreditou que eram a única forma de ultrapassar. No ginásio ao invés de contratar os serviços de um PT, procurou dicas na internet sobre quais os melhores exercícios para ficar mais musculado, ignorando os problemas de saúde que tem. Fez uma proposta comercial e o seu potencial cliente disse que era muito cara comparada com a concorrência. Ficou todo envergonhado, pediu desculpas e fez logo ali um desconto de 80% só para agradar e não perder o negócio.

13 – Só aceitou os conselhos da mãezinha

Quando estava com gripe ao invés de procurar um médico ligou para a mãezinha e pediu uma receita de chazinho para lhe pôr melhor. A sua mulher lavou e passou a sua roupa e ao invés de agradecer, esteve sempre a criticar dizendo que ela não passou as suas cuecas tão bem como a sua mãe passava. Antes de uma reunião muito importante, ao invés de estar a se preparar com antecedência, preferia ir almoçar a casa da sua mãe para matar saudades e falar das dores que ela tem nas costas.

14 – Resultados do passado não garantem sucesso no futuro

Sobre esta questão tenho somente uma coisa a dizer. Leia o livro “Quem mexeu no meu queijo” está tudo explicado com todos os detalhes por que você falhou.

15 – Foi (e é) uma pessoa mais ou menos

Não dominou absolutamente nada por completo. Foi um poucochinho de cada coisa tornando-se uma verdadeira salada de frutas profissional. Se quer mais detalhes sobre este ponto, leia este meu artigo por favor: “Não seja mais ou menos

16 – Você desprezou o seu próprio corpo

A sua comida favorita foi sempre Pizza, regada com um pote de maionese e ketchup. Sempre que pode ir comer fora, não dispensou um cesto de pão como entrada, um bife frito em montes de margarina mais duas doses de batatas fritas a escorrer óleo e cheias de sal. Tudo isso acompanhado de uma boa cervejinha bem gelada para ajudar na digestão. A última vez que comeu algo parecido com uma salada, era na verdade um prato de salada russa com maionese, atum e batatas fritas para acompanhar. No final havia sempre um docinho para desenjoar da comida acompanhado de um cafezinho com cheirinho de aguardente com um “meio” whisky.

17 – Você foi um eremita e lobo solitário

Tal como no mundo animal, quando trabalhamos com companhia há uma garantia maior de se atingir o sucesso. No entanto, você não foi assim. Todo o conhecimento que ganhou não foi para ser partilhado. Tudo o que soube sobre um determinado assunto só a si interessava. Vive sozinho, não tem amigos próximos e o último familiar que lhe visitou foi no Natal de 2005. O seu lema é “Antes só do que mal acompanhado”.

18 – Esteve sempre a comparar

Via um colega a fazer uma tarefa de forma diferente e dizia logo “No meu tempo isso não era assim que era feito.” Esteve constantemente a comparar tudo o que se passava com algo do passado e a maioria das vezes com coisas que nunca funcionaram. Mesmo quando comparava com algo que funcionou, não foi, de todo, garantido que continuaria a funcionar nos dias de hoje. A palavra “Mudança” nunca fez parte do seu vocabulário.

19 – Não decidiu nada na maioria das vezes

Mais valia uma má decisão do que não decidir nada. Sempre que foi desafiado para superar alguma coisa, bloqueou, gelou e correu para o seu local seguro, provavelmente debaixo da cama. Não foi capaz de tomar decisões quando era necessário. Ficou o ano inteiro no zero a zero.

Conclusão final

Se depois de ler este artigo quer conhecer como o pode agir de forma positiva na sua vida e na sua empresa, o primeiro passo e clicar no link para ter a sua Sessão Experimental de Coaching.

Muito obrigado por ler o meu artigo.

Pense nisso!

Complete a frase: VENDER É....
O que captou o seu interesse no Artigo? Titulo do ArtigoPalavra-chavePesquisa Aleatória
Como chegou até ao meu site? NewsletterGoogleLinked InFacebookTwitter
Como classifica o interesse do Artigo? BaixoSuficienteBomMuito Bom
Sugeria o meu site a algum amigo ou colega? SimNão
Com que frequência visita o meu site? 1ª visita1 vez/semana1 vez/mêsMuitas vezes
Nome: email:
Se pudesse fazer-me uma pergunta, qual seria?
Clique em ->
19 razões para não ter cumprido as suas promessas em 2018
Tagged on:         

Wilques Erlacher

ACC Coach Credenciado pela ICF. Especializado em Coach de Desenvolvimento & Transformacional e Director de Vendas na Saphety (empresa do Grupo Sonae). Há mais de 20 anos que trabalho em funções relacionadas com Marketing, Vendas Corporativas, Desenvolvimento de Negócios, Gestão de Clientes, Formação, Mentoria e Consultoria em Vendas. Fui Presidente da Direcção na OV-APPV Associação Portuguesa dos Profissionais de Vendas e trabalhei na Petrogal (actualmente Galp Energia), na Agência Reuters Portugal, na Bull Portuguesa, na Novis Telecom e Mainroad (grupo Sonaecom). Sou keynote speaker, formador e mentor de equipas de vendas, desenvolvi e pratico a metodologia "Venda Melhor – A Fórmula que muda a forma de ser". Trabalho como Coach no desenvolvimento de profissionais em clientes empresarias em Portugal, Colômbia, Brasil, Espanha, França, Itália, Quénia e Cazaquistão. Acredito que há um potencial a ser trabalhado em cada um dos meus clientes, de forma única. O meu lema é “Coaching: It’s all about execution!” Quer falar comigo sobre como ser melhor profissional? email: we@wilqueserlacher.com Skype: w.erlacher telefone: +351 932 558 558

error: Conteúdo protegido contra cópia!