Está preparado para o novo normal?

O mundo mudou. Quanto a isto ninguém pode dizer nada em contrário. Estamos todos mais temerosos relativamente a distancia que mantemos de outras pessoas. Hoje em dia pensamos duas vezes antes de entrar num elevador quando já lá estão algumas pessoas. No supermercado, se vimos um corredor com pessoas, mudamos logo ou damos a volta. Na rua, mudamos de lado sempre que há alguém a vir na nossa direção no mesmo lado da calçada.

Se tudo isso já não é pouco, ainda temos muitas empresas e negócios fechados. Os abutres do caos falam de uma potencial crise económica a aproximar com muita força. Fica a questão sobre como é que um empresário ou empreendedor vai conseguir voltar a singrar e não entrar em banca rota?

Portugal é, sem dúvida, um país de empresas do sector terciário, ou seja, serviços, e vender serviços significa prestar estes próximo dos clientes ou pelo menos estar a servi-los em casa, no escritório, na loja, no ginásio ou mesmo na rua.

Sempre fui um seguidor fervoroso da ideia que é preciso dar para receber. Em tudo o que faço na minha vida, penso sempre como primeiro posso ajudar o meu próximo. Sei que muitos dos que ajudei não se vão lembrar de retribuir. Mas não o faço com a intenção de, obrigatoriamente, ser retribuído. Gosto da sensação de ver uma pessoa feliz com algo que fiz por ela. Vi dezenas de microempresárias com quem trabalhei em processos de pro-bono avançarem com os seus negócios e se tornarem empreendedoras bem sucedidas.

Assim sendo, hoje não partilho ideias para superar a crise. Trago algumas ideias sobre como você, que me lê neste momento, pode ser um membro activo para ajudar outros a superarem esta crise em potencial. Acredite que tudo o que fizer, vai retornar em dobro para si. Falo disso na primeira pessoa e por experiência própria.

Eis as minhas sugestões e pensamentos, em ordem de importância do meu ponto de vista.

1. Entre em contato com todos os clientes (eles também tem negócios)

Procure saber como eles estão a reagir a este novo tempo. Converse e entenda o quê e em quê eles mudaram. Disponibilize algum tempo para saber se precisam de ajuda.

2. Divulgue o negócio dos seus clientes

Recordo com muito agrado uma pessoa amiga, que num post do Facebook pediu ajuda para o negócio de queijos artesanais de uma amiga. Não tinha conhecimento da existência deles. Comprei os queijos e são excelentes. Logo a seguir, eu compartilhei na minha rede um elogio a qualidade dos produtos desta queijaria e agora o negócio deles já tem mais encomendas do que a capacidade de entrega.

Se entre os seus clientes existem empresas e serviços que estão disponíveis para trabalhar e servir, partilhe e ajude a divulgar o negócio destes. Faça somente nos que acredita que farão a diferença. Lembre-se que ao recomendar está a coresponsabilizar-se com a recomendação. Incentive outros que conhece na sua rede a fazer o mesmo. Quantos mais falarem, mais fácil será voltar a vender e entrar dinheiro.

3. Conheça os projectos e actividades da comunidade que pode participar

Em todos os bairros e comunidades existem dezenas de actividades de entreajuda para quem mais necessita. Se tem algo que possa partilhar, nem que seja tempo, faça. Participe, divulgue, promova, utilize e disponibilize. Compartilhe histórias de qualquer pessoa que faça algo positivo, qualquer actividade que as pessoas possam participar com segurança.

4. Responda ao maior número possível de pesquisas e questionários

Muito gente está a despender tempo tentando entender até que ponto a crise está a afectar as empresas e negócios. Se for convidado a participar em algum questionário ou pesquisa, não se negue. A informação que possa dar será útil para determinar o grau de ajuda necessária. Ajude a que mais empresários e empreendedores que conhece participem também. Quanto mais este momento que vivemos durar, mais questionários serão lançados. Muitos deles ajudarão a determinar quanto e para onde o dinheiro será alocado.

5. Para empresas fechadas ou reduzidas, ajude-as a fazer a transição

Muitos negócios como os restaurantes, cabeleireiros, bares, lojas estão completamente fechados há mais de 4 semanas. Não vai haver uma volta ao “normal” que estavam habituados. Estes negócios vão precisar de pessoas como você, eu e o seu vizinho para voltarem a gerar riqueza para a sociedade. Independentemente de não terem, no momento de reabertura, dinheiro para comprar os bens e serviços que precisam, se é fornecedor destes tipos de negócios, ajude-os com melhores prazos de pagamento ou descontos por quantidades maiores encomendadas. Dê mais e melhor garantia sobre os produtos. Enfim há dezenas de formas de os ajudar a fazer a transição. Muitos estão neste momento a pensar sobre o que vem a seguir para não deixar outros ocuparem o espaço que eles ocupavam.

6. Actue com um casamenteiro

Conhece vários negócios que se complementam, então ajude estas empresas que, por causa desta pandemia, tiveram que reduzir o tamanho a se combinarem com outras para compartilhar espaço ou compartilhar recursos comuns com segurança. Muitos destes casamentos ajudarão que a soma de 1+1 seja maior que 2.

7. Preencha espaços vazios com coisas alegres

Se o seu negócio possui uma frente disponível para a rua, encha as vitrinas ou janelas, até então vazias, com arte alegre de qualquer tipo. Mostre e demonstre que apesar de toda a tristeza que vivemos, a alegria pode ser obtida com um pouco de ajuda de cada um de nós. ponha flores nas janelas. Alegre o ambiente com novos quadros, fotografias ou imagens que permitam os colaboradores e clientes sentirem que há uma luz clara no final do túnel.

8. Comece a se preparar para a reconstrução

Muitos empreendedores tiveram que abdicar do seu espaço de trabalho devido a incapacidade de continuar a pagar a renda. Mas isso não deve ser o fim do seu empreendimento. Procure pequenos espaços ou espaços compartilhados que ajudarão as pequenas empresas ou startups a voltar a criar raízes, agora muito mais fortes e mais determinadas em crescer. Existe uma comunidade inteira de pessoas por aí que querem ajudar. Dê a eles formas pequenas, mas significativas, para participar, espalhar a palavra e se animar.

Conclusão final

Se sente que está pronto para fazer alterações no seu estilo de gestão e liderança e quer trabalhar de maneira diferente, entre em contato comigo. Irei ajudá-lo a ter uma clareza cristalina de onde EFECTIVAMENTE deseja estar, trabalhar os bloqueios que impedem o avanço, rever o seu posicionamento, objectivo, prazos e vai sair com ideias, opções, inspiração e plano de acção para que isso aconteça. Dê o primeiro passo agora.

Clique aqui para contactar-me e termos uma conversa informal por WhatsApp ou telefone para descobrir como eu posso ajudá-lo. Ou pode entrar em contato comigo através do formulário de contato aqui.

Lembre-se que:

Coaching não é para quem precisa. É para quem quer ser melhor!

Muito obrigado por ler o meu artigo.

Pense nisso!

Está preparado para o novo normal?
Tagged on:                         

Coach Wilques Erlacher

ACC Coach Credenciado pela ICF. Especializado em Coach de Desenvolvimento & Metafórico e Presidente do Conselho Fiscal da ICF Portugal. Há mais de 20 anos que trabalho em funções relacionadas com Marketing, Vendas Corporativas, Desenvolvimento de Negócios, Gestão de Clientes, Formação, Mentoria e Consultoria em Vendas. O meu lema é: “Coaching não é para quem precisa, é para quem quer ser melhor” Os meus contactos são: email: we@wilqueserlacher.com || Skype: w.erlacher || Tel: +351 932 558 558

WhatsApp chat