Quando sacrificar significa recompensa

A palavra sacrifício sempre foi sinónimo de sofrimento e de dor. Aliás, olhando para o significado da palavra lê-se: “O termo sacrifício provém do latim ”sacrificium” que significa “fazer algo sagrado”. É assim que o sacrifício ou facto sagrado representa sempre um acto de esforço e de vontade para conseguir um objectivo maior pelo qual se luta. O sacrifício é algo que exige um grande empenho e consistência, pois é algo que se faz por vontade, mas não significa que seja menos difícil ou complicado só porque se buscou realizá-lo.

Assim sendo, o que pretendo apresentar neste artigo são alguns sacrifícios que o ajudarão a ser mais produtivo, mais profissional, melhor empresário e até mesmo melhor pessoa. Curioso? Então vamos a isso.

Sacrifício nº 1 – Deixar de definir o seu com base no dos outros

Quando andava na escola um professor dizia algo que guardei para sempre como um dos meus mantras. Ele dizia: “Aprender não é fazer exactamente como os outros fazem. É observar, extrair e reter o que há de melhor e criar a sua própria forma de aprender.

Siga-me pelologo_b

Nunca uma frase disse tanto para mim. Aplico isso em tudo na minha vida. Não sigo o que outras pessoas dizem que fizeram, nem tampouco faço as dietas milagrosas, não copio técnicas de fecho espetaculares, não sou replicador de ideias definidas por outros. Aprendi a ler, observar, analisar, verificar e depois disso tudo ser eu a criar a minha fórmula de sucesso, seja na vida profissional, pessoal ou na comunidade onde estou inserido. O que escrevo serve para que possa comparar as minhas ideias com as suas e, aproveitando o que há de bom, criar o seu próprio percurso. Não é por dar certo comigo ou com outra pessoa qualquer que é garantia que vá dar certo consigo. Absorva, estude, planeie e execute o seu próprio caminho.

Sacrifício nº 2 – Deixar de estar (falsamente) sempre ocupado

Há um ditado que diz: “Se quer uma tarefa bem feita, atribua a quem estiver mais ocupado”. A razão deste ditado não é ser masoquista ou ditatorial. A grande vantagem de quem está muito “ocupado” é estar focado e determinado em cumprir as tarefas.

Mas nos dias que correm estar ocupado virou a desculpa para tudo. Vejamos:

  • Não vai ao ginásio, porque está muito ocupado;
  • Não come como deve ser, porque está muito ocupado;
  • Não está com a família porque está muito ocupado;
  • Não brinca com os filhos porque está muito cansado por ter estado ocupado.
  • Não conversa com os amigos, porque está muito ocupado;
  • Não vive feliz, porque está muito ocupado.

Desde Abril deste ano que mudei de função e passei a ter muito mais trabalho e o tempo que tenho é exactamente o mesmo que todos os meus colegas. No entanto consigo resolver mais problemas, responder a mais emails, atender e fazer mais chamadas do que antes. Tudo por que mudei a intensidade do meu foco e agora chega as 17h30 e já tenho o meu dia feito.

Venho para casa todos os dias com a sensação de dever cumprido, menos cansado e muito mais disponível para tudo o que gosto de fazer.

Até quando vai continuar a dar a desculpa de estar ocupado?

Sacrifício nº 3 – Parar de correr atrás de todas as oportunidades que aparecem

Houve um período da minha vida que estava a entrar num ritmo de actividade profissional muito intenso. Achava que se não estivesse a participar em todos os eventos que era convidado, não seria “lembrado” e não conseguiria novos negócios.

Foi preciso ficar mesmo muito cansado para tomar conhecimento que estava, afoitamente, a correr de um lado para outro e não consegui atingir nenhum dos que tinha traçado.

Somente a partir do momento que comecei a dizer mais vezes “não” é que começou a me aparecer novos negócios. Foi quando comecei a ter mais foco no meu processo e, principalmente, saber diferenciar o que podia me ajudar do que estava a me prejudicar, que os meus objectivos começaram a ser atingidos.

Descobri que em muitos eventos eu era mais um “faminto” no meio de tantos a tentar dividir o pouco “pão” (entenda-se negócios) que haviam disponíveis.

Assumi que por cada vez que quanto mais vezes digo “não” consigo ganhar mais pois estou a obter mais valor e o grau de aproveitamento é realmente grande.

Conclusão final

Por fim, as coisas boas advêm do sacrifício. Se quer o que nunca teve, deve fazer o que nunca fez. Comece a sacrificar algumas coisas certas para que possa ter um futuro melhor. Não deixe ninguém definir o seu sucesso. Pare de ser “ocupado” e comece a ser mais concentrado e focado. Concentre-se em aprender tudo o que puder em qualquer lugar que puder. Gaste o seu tempo com sabedoria, porque muitas coisas exigirão a sua atenção e energia.

Se depois de ler este artigo quer conhecer como posso agir de forma positiva na sua empresa ou nos colaboradores da sua empresa, o primeiro passo é agendar uma conversa comigo sobre como poderei ajudar.

não é para quem precisa. É para quem quer ser melhor!

Muito obrigado por ler o meu artigo.

Pense nisso!

Complete a frase: VENDER É....
O que captou o seu interesse no Artigo? Titulo do ArtigoPalavra-chavePesquisa Aleatória
Como chegou até ao meu site? NewsletterGoogleLinked InFacebookTwitter
Como classifica o interesse do Artigo? BaixoSuficienteBomMuito Bom
Sugeria o meu site a algum amigo ou colega? SimNão
Com que frequência visita o meu site? 1ª visita1 vez/semana1 vez/mêsMuitas vezes
Nome: email:
Se pudesse fazer-me uma pergunta, qual seria?
Clique em ->
Quando sacrificar significa recompensa

Coach Wilques Erlacher

ACC Coach Credenciado pela ICF. Especializado em Coach de Desenvolvimento & Metafórico e Presidente do Conselho Fiscal da ICF Portugal. Há mais de 20 anos que trabalho em funções relacionadas com Marketing, Vendas Corporativas, Desenvolvimento de Negócios, Gestão de Clientes, Formação, Mentoria e Consultoria em Vendas. O meu lema é: “Coaching não é para quem precisa, é para quem quer ser melhor” Os meus contactos são: email: we@wilqueserlacher.com || Skype: w.erlacher || Tel: +351 932 558 558