7 formas de ultrapassar as adversidades

O que vou escrever não tem nada a ver com nenhuma fórmula mágica para atingir o sucesso ou como o pensamento positivo pode influenciar a nossa vida. Nada disso. Por vezes a vida nos prega uma partida e é muito difícil dizer que em algum momento estamos preparados para isso. Não importa a idade que tenha. Quando pensamos que tudo está a correr como deve ser, basta um momento de desatenção, uma perda do controle e temos uma escorregadela que arrebenta com tudo.

Num ápice, sente que todos os seus planos, projectos e expectativas foram deitados pela sanita abaixo sem pedir licença ou por favor. E agora como ultrapassar esta adversidade? Como levantar da cama e pensar que já não há nada igual ao que era? Como ter a motivação para planear (ou mesmo executar) uma possível mudança? Se é difícil responder, pior ainda é fazer. Há algum tempo atrás escrevi numa apresentação o seguinte:

Vai doer,
Vai demorar tempo,
Vai requerer dedicação,
Vai requerer força de vontade,
Vai ter que tomar decisões difíceis,
Vai requerer sacrifícios,
Vai colocar o seu corpo e mente ao máximo,
Vai haver decepções,
Mas reconheça uma coisa,
Quando chegar ao objectivo definido,
Vai valer a pena!

Usei isso para demonstrar o potencial para uma determinada mudança e hoje olho para isso como se tratasse de um prognóstico, mesmo não sendo. Neste meu artigo quero apresentar 7 formas que pode experimentar como ferramenta de motivação ou ajuda para ultrapassar uma adversidade não programada na sua vida.

Forma nº 1 – Descubra para que lado sopra o vento da mudança

O vento é sem dúvida uma excelente metáfora para explicar que nem sempre os “ventos da vida” sopram a nosso favor. Na navegação o melhor vento é o de popa que empurra o barco avante. Por vezes o vento, sem avisar, muda de direção e o piloto do barco tem que tomar uma decisão. Pode olhar a mudança como má e insistir em continuar em frente contra o vento sendo isso improdutivo e, potencialmente causador de danos na embarcação; Pode baixar os braços, lamentar pelo seu azar, recolher as velas e esperar que o vento volte novamente a soprar numa direção favorável ou; Decidir uma nova rota estratégica com base na direção do vento e rumar ao destino traçado aproveitando o vento.

Forma nº 2 –  Autoanálise

Ao deparar com uma adversidade temos uma oportunidade de parar para reflectir e analisar as nossas vivências de sucesso e de fracasso. Mesmo tendo a cabeça totalmente preenchida com uma ansiedade, insegurança e sentimento de fracasso, é preciso ter força e determinação para listar numa folha de papel o que fez bem e o que fez menos bem. Numa terceira coluna ao lado da que fez menos bem, poderá listar formas de corrigir numa situação idêntica. Também pode procurar ajuda externa, por exemplo, recorrer a um Coach onde poderá conversar com alguém com uma visão mais aérea da floresta e ajudar quem já está totalmente perdido no meio dela. Além do mais, um Coach consegue trabalhar uma reflexão profunda e desapegada de sentimentos.

Forma nº 3 – Leia muito

Aproveitar todos os momentos que tem para ler e estudar. Incentivo que faça isso pois tem uma oportunidade única de aprender com os erros dos outros. Sim, acredite que não está sozinho e a adversidade não é uma exclusividade. Houve e ainda há milhares de pessoas que passaram, ou estão a passar, pelo mesmo percurso. Estas pessoas usam a internet, blogues e livros para contar como vivenciaram e venceram a adversidade.

Procure entender o percurso até a resolução. Quando lemos, além de aprendermos algo, criamos um sentimento de inclusão e identificar em nós os mesmos erros dos outros e, por norma, passamos olhar os nossos problemas de forma diferente e até conseguimos encontrar a nossa própria forma para vencer.

Forma nº 4 – Escreva

Como diz o ditado “Quem canta os seus males espanta”, posso afirmar que “quem escreve, enterra os seus fantasmas”. Se gosta de escrever num diário, tudo bem. Se gosta de escrever notas soltas sobre coisas que se lembra ao longo do dia, tudo bem. Se toma nota de acontecimentos e aprendizagens que poderão ser importantes lembrar no futuro, melhor ainda. Independentemente da intenção ou motivação, o facto de escrever permitirá mais a frente recuperar estas notas para melhorar uma ideia ou reforçar uma valência. Termino com outro ditado que diz “O que não nos mata, tornar-nos mais fortes”.

Siga-me pelologo_b

Forma nº 5 – Mostre-me com quem andas e dir-te-ei que és

Como vê gosto muito de ditados. Acho que são esclarecedores e muito apropriados como metáforas. Diz o ditado: “Quem anda com porcos, farelo come.” Por isso a minha dica é, procure estar ao lado de pessoas que possam de alguma forma ajudar a ser melhor, a aprender algo novo ou a corrigir algum erro. Esta forma de estar é conhecida como uma habilidade selectiva. Se quer estar entre os melhores, procure estar envolvido e junto dos melhores. Desenvolva também a habilidade de ouvir com atenção para selecionar ,no que escuta, somente o que servir para ajudar a ser melhor.

Forma nº 6 – Seja disciplinado

Ficar enfiado na cama a lamber as feridas e choramingar não ajuda nada. Também sair de casa sem destino e ficar a vaguear pela rua, contribui menos ainda. Há efectivamente coisas que deixam de ser possível fazer, mas há disciplinas e hábitos que devem ser mantidos. Quando obrigamo-nos a ser disciplinados sobre as coisas básicas da nossa vida como comer como dever ser, beber muita água, fazer ginástica, ir ao supermercado ou manter a casa e a roupa limpa permite que a cabeça não seja ocupada por coisas que não interessam. Discipline o seu dia para ter um tempo para fazer as coisas indicadas e ainda estudar uma forma de ultrapassar a adversidade. Não se esqueça que “Cabeça vazia é Playground do diabo”.

Forma nº 7 – Não ser negligente

Por que aconteceu uma adversidade não significa que tudo deixou de existir. Desistir não pode ser uma opção, nunca! Seguir com passos firmes e compreender e aplicar as 6 formas anteriores é maneira certa de fechar um capítulo e abrir uma página em branco nova para escrever o seu novo caminho.

Conclusão final

Estas dicas são parte integrante do processo de Coaching que tenho com os meus clientes onde trabalho a melhoria da produtividade e no Desenvolvimento Transformacional nas suas empresas e no processo de venda.

Se depois de ler este artigo quer conhecer como o Coaching pode agir de forma positiva na sua vida e na sua empresa, o primeiro passo e clicar no link para ter a sua Sessão Experimental de Coaching.

Muito obrigado por ler o meu artigo.

Pense nisso!

Complete a frase: VENDER É....
O que captou o seu interesse no Artigo? Titulo do ArtigoPalavra-chavePesquisa Aleatória
Como chegou até ao meu site? NewsletterGoogleLinked InFacebookTwitter
Como classifica o interesse do Artigo? BaixoSuficienteBomMuito Bom
Sugeria o meu site a algum amigo ou colega? SimNão
Com que frequência visita o meu site? 1ª visita1 vez/semana1 vez/mêsMuitas vezes
Nome: email:
Se pudesse fazer-me uma pergunta, qual seria?
Clique em ->

 

7 formas de ultrapassar as adversidades

Wilques Erlacher

ACC Coach Credenciado pela ICF. Especializado em Coach de Desenvolvimento & Transformacional e Director de Vendas na Saphety (empresa do Grupo Sonae). Há mais de 20 anos que trabalho em funções relacionadas com Marketing, Vendas Corporativas, Desenvolvimento de Negócios, Gestão de Clientes, Formação, Mentoria e Consultoria em Vendas. Fui Presidente da Direcção na OV-APPV Associação Portuguesa dos Profissionais de Vendas e trabalhei na Petrogal (actualmente Galp Energia), na Agência Reuters Portugal, na Bull Portuguesa, na Novis Telecom e Mainroad (grupo Sonaecom). Sou keynote speaker, formador e mentor de equipas de vendas, desenvolvi e pratico a metodologia "Venda Melhor – A Fórmula que muda a forma de ser". Trabalho como Coach no desenvolvimento de profissionais em clientes empresarias em Portugal, Colômbia, Brasil, Espanha, França, Itália, Quénia e Cazaquistão. Acredito que há um potencial a ser trabalhado em cada um dos meus clientes, de forma única. O meu lema é “Coaching: It’s all about execution!” Quer falar comigo sobre como ser melhor profissional? email: we@wilqueserlacher.com Skype: w.erlacher telefone: +351 932 558 558

error: Conteúdo protegido contra cópia!