Desligue o computador

by

Penso que deve concordar comigo, quando digo que a internet, as redes sociais e todos estes avanços tecnológicos de hoje em dia, mudaram drasticamente a nossa forma de fazer negócios. Se verificar bem, parece que todos os dias alguém em algum lado inventa uma nova forma de estarmos ligados com os nossos clientes sem termos necessariamente de estar a falar ou a vê-los. segundo um especialista americano, “A ascensão das redes sociais como por exemplo o Facebook, Twitter, MySpace, YouTube ou o Linked In, criaram a ilusão em muitos profissionais de vendas em reduzir as suas interacções pessoais, porque passaram a achar que com estes meios de comunicação sociais facilmente conseguiriam arranjar novas oportunidades de negócio bem qualificadas.

Para os portugueses que estão a ler este artigo, devem também, ter visto e lido esta semana um artigo no Expresso a dizer que as empresas estão a perder milhões de euros por que os seus empregados utilizam estas redes sociais durante 5 minutos por dia. Segundo o jornal Expresso, isso custa as empresas portuguesas cerca de 1,5 Milhões de Euros por ano.

Porém, o que hoje vos trago é uma opinião sobre estas redes sociais, e como deverão incorporar as mesmas no seu processo de venda.

Caia na Real

As redes sociais são uma poderosíssima ferramenta por apenas 3 motivos:

  1. Permite optimizar a busca – saiba utilizar as palavras correctas para conseguir facilmente ser encontrado pelos seus possíveis clientes.
  2. Encontrar e conhecer pessoas – permite saber tudo sobre uma determinada pessoa, o seu curriculum e as suas conexões.
  3. Encontrar quem as pessoas conhecem – olhe com atenção as conexões destas pessoas e saiba utilizar isso como ponte para lhe dar acesso a quem te interessa.

Claro que na sua vida, ira encontrar vários vendedores a dizer que tem conseguido encontrar clientes através das redes sociais. Tudo bem, isso até pode ser verdade se o tipo de serviço ou produto que vendem são completamente cinzentos e impessoal. Eu pelo menos só conto com aquilo que trabalho arduamente, de forma proactiva, intencional e com uma estratégia pessoal para conseguir conhecer novos clientes.

Para Saberem quem Você é e para Gostarem de Você

Há um velho ditado entre os vendedores que diz: “Os clientes compram com a emoção e justificam o acto com factos”. Se os nossos clientes não gostarem de nós ou não se sentirem confortáveis connosco, eles não vão comprar de nós. Você até pode impressionar os seus clientes com uma vasta gama de atributos tecnológicos e conseguir até que eles gostem desta tecnologia, mas isso só vai acontecer se eles acharem que você é honesto e de confiança. Mas a realidade é assim, você precisa que as pessoas gostem de si nos poucos minutos que tem a atenção deles. É preciso começar com o pé direito. Conversa barata não vai fazer você conseguir isso, mas se tiver uma boa quantidade de pessoas a lhe referenciar e uma boa lista de conexões ajudará bastante.

Uma frase dita por quem sabe (e não sou eu) é: “Desligue o seu computador. É preciso que saiba desligar o seu telefone e descobrir todas as relações humanas que giram a sua volta”.

Gostar de si é confiar em si

As decisões mais importantes no mundo dos negócios são sempre baseadas em relações pessoais. Muitas pesquisas e análises são feitas todos os anos por diversas empresas para tentar descobrir porque os decisores compram. Estamos a tentar vender serviços, investimentos, sistemas, produtos…estamos a pedir que as pessoas dispensem tempo e dinheiro! Porque eles irão querer trabalhar com alguém ou que não possui nenhuma referência?

3 Dicas Vencedoras

Estar presente nestas redes sociais tornou-se uma obrigação para todos. Um bom início será:

  1. Desenvolva uma estratégia social – tal como faz um plano de vendas ou de marketing, é preciso desenvolver o seu plano social. Quais são os seus objectivos, quem são as pessoas que quer para audiência, o que quer comunicar? Não dispense este mercado, ele deve fazer parte da sua estratégia diária de ataque ao mercado. Agora uma outra questão: Como irá fazer a sua estratégia ficar ligada as necessidades dos seus clientes e as prioridades estabelecidas pelo seu negócio?
  2. Estabeleça boas relações – tire o tempo necessário para construir a sua rede de conexões, não basta somente adicioná-la a sua rede de contactos. Pegue o telefone e fale com elas. Não pense que só porque tem um nome de alguém, isso signifique algum tipo de relação.
  3. Transmita informação útil – um conselho: as redes sociais não são feitas para vender. Elas são feitas para estabelecer conexões, identificar caminhos e formas de colaboração e adicionar valor a si. Quer algumas dicas para conseguir isso? Faça uma hiperligação do seu perfil ou site a outros sites que acha interessante recomendar. Seja reconhecido com um especialista na sua área ao construir a sua presença na Web. Seja um recurso disponível.

Para Confiarem em Você Prepare o Caminho

A parte mais excitante e agradável do nosso trabalho nas vendas é a relação que mantemos com os nossos clientes e a forma como interagimos com eles. É fantástico o quanto aprendemos sobre o negócio dos nossos clientes e como sabemos bem endereçar os nossos produtos e serviços as suas necessidades. Numa era que somos dominados por uma catadupa de tecnologia e a pressão das muitas redes sociais, lembre-se sempre que as conexões que fizer, as referências e a confiança que criar em si é o que conta. Se é fácil criar a sua rede social? Não, não é. É preciso muito esforço, dedicação e inteligência. Mas não se esqueça que as relações são feitas entre pessoas, e é isso que conta.

Pense nisso e boas vendas.

No tags for this post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Os Sete Passos da Venda

Setembro 16, 2006

Este é talvez, o artigo mais lido dentro do Venda Melhor. Por isso resolvi fazer…

%d bloggers like this: